Arte brasileira em Milão, Itália


Aconteceu no último primeiro de maio na Terrazza MARTINI, no Duomo de Milão, a Red Art Party – Vernissage & Fashion Show. O evento foi produzido pela artista Russa Eva Amos e contou com a presença das estilistas iranianas Bahar Primavera e Yasaman Fayal, do estilista colombiano Martin Alvarez e da estilista Equatoriana Lourdes Dumes. O artista plástico paulista MORA (Alexandre Mora Sverzut) foi destaque na Vernissage. Dois quadros de sua autoria foram escolhidos para fazer o cenário do evento. A sintonia entre o desfile e as obras de Mora foi enorme. Os quadros pareciam ter sido pintados para o evento quando na realidade foram produzidos no ano de 2012. inspirados na música, Concerto de piano – Vornik In Villa, que retrata um concerto da amiga pianista Lyudmila Vornik nas dependências da Villa Cambiaso e na pintura, Tributo a Ansgar Leiten, uma homenagem ao pintor norueguês que faria 108 anos se estivesse vivo. A arte se alimenta de arte: O Duomo e a Galleria di Vittorio Emmanuelle que hospedam o evento, formam um dos pontos mais Fashion do mundo. É reduto de artistas designer, fotógrafos, estilistas, bloggers e enfim todos que admiram a moda e a arte. IMG_2669 IMG_2666

IMG_2657 IMG_2659

MORA (Alexandre Mora Sverzut) artista autodidata, começou seu percurso nos anos noventa quando ainda trabalhava no mercado financeiro. Nesta sua primeira fase pinta a inquietude do ser em uma metrópole utilizando material reciclável. No ano de 2007 após uma expedição na Patagônia criou força e coragem para deixar o Brasil e começar na Europa um ano sabático. O início foi marcado pela descoberta dos mares, trabalhou nove meses no legendário navio Costa Concórdia e sucessivamente por um breve período trabalhou nas colinas da riviera Italiana colhendo Basilico. Ainda no percurso das experiências inusitadas, passa em um concurso da união europeia para se diplomar como OTS (mergulhador profissional) com estágio em arqueologia marinha na Sardenha mergulhando a 52 metros de profundidade. Quando chega ao fim da experiência Maritima, Mora ressurge e começa a pintar a sua segunda fase artística, a fase Europeia. Apaixonado pela psiquiatria e pelos jogos políticos, descobre novas linguagens e impressões que o ajudam a produzir obras que nascem das experiências vividas nos 32 países visitados. As obras são representadas por pinturas, instalações, fotografia e escultura. O foco no inconsciente estão sempre presentes no mundo que o artista retrata. As imagens projetadas na tela através de gestos expressam uma sensibilidade profunda. A força cromática e as particulares formas ganham vida. O traço simples ganha forma para denunciar o que é dramático. A arte de Mora é verdadeira e escava profundamente as entranhas do pintor fazendo assim o paradoxo com o mundo de fora chegando à razão das estrelas.

IMG_2658IMG_2663IMG_2665

Claudia Kather

Executiva do mercado financeiro, formada em Comunicação Social – Propaganda e pós graduada em Marketing, com MBA em Marketing de Serviços. Apreciadora das tendências de moda.

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *